O que é Forex?

FOREX ou FX é uma abreviação em inglês Foreign Exchange, significa “mercado de câmbio” ou “moeda estrangeira”.

Como você ouviu falar de Forex?

Provavelmente isso te chamou atenção, então presumo que foi justamente isso que lhe fez chegar a este artigo.

Então vamos lá, leia esse artigo completo e saberá o que é e como funciona e quais os riscos de Forex.

O FOREX não se destina apenas a pessoas interessadas em realizar investimentos lucrativos. Na verdade, pessoas e empresas que tenham interesse em transacionar com divisas, como importadores e exportadores, também atuam nesse mercado para atender às suas necessidades relacionadas a moedas estrangeiras.

Devido às suas características peculiares, no entanto, a maioria do volume negociado é de investidores, buscando lucrar ou especular. Os especuladores, para realizar suas estratégias em busca de melhor rentabilidade, procuram aquelas moedas mais líquidas, ou seja, mais negociadas, o que facilita a realização de suas operações.

Inicialmente, este era um mercado restrito a bancos e investidores institucionais. Com a evolução tecnológica e a crescente globalização dos fluxos financeiros, o FOREX tornou-se acessível a investidores individuais que, usando a Internet, em diferentes países, têm acesso às transações.

Primeiro um pouquinho de historia:

Como foi falado acima, Forex trata-se de um mercado cambial de moedas aplicadas em pares. Onde as cotações das moedas que são parte da chave onde lucros e prejuízos ocorrem.

Antes de surgir oficialmente um dos eventos mais importantes, para esse mercado foi à era do padrão ouro.

Estabelecido no ano de 1880, o padrão ouro veio com a tarefa de ser um estabilizador monetário internacional.

Os países poderiam agora atrelar sua moeda nacional em um valor, que era o equivalente a certa quantidade de ouro que aquele país tinha em seu poder.

Antes disso, os países usavam ouro e prata para pagamentos internacionais.

O problema é que tal método estava sempre muito sujeito a lei da oferta e procura. Assim, sempre que uma mina de ouro nova era encontrada, os preços caíam ante a incógnita de quanto ouro havia para ser extraído.

No final do século XIX, todas as principais economias já tinham atrelados suas moedas ao valor da onça de ouro.

Daí em diante, a diferença no preço da onça de ouro entre duas moedas se tornou a taxa de câmbio para o dito par.

Esta foi, oficialmente, a primeira maneira de realizar o câmbio monetário (forex) da história.

O mercado FX foi criado em 1971 e hoje em dia movimenta mais de U$ 4 trilhões negociados todos os dias e funciona 24h por dia entre 22h de domingo e 22h de sexta-feira.

Mas ao contrário do que muitas pessoas podem pensar investir no mercado forex é bem diferente de como investir na bolsa brasileira.

Como funciona na prática?

A operação no FOREX envolve a compra de uma moeda e a simultânea venda de outra, ou seja, as moedas são negociadas em PARES, por exemplo: dólar e iene (USD/JPY). O investidor não compra dólares ou ienes, fisicamente, mas uma relação monetária de troca entre eles. O FOREX é um mercado em que são negociados, portanto, derivativos de moedas, ou contratos cujos ativos subjacentes são pares de moedas. Ele (o investidor) é remunerado, assim, pelas diferenças entre a valorização destas moedas.

Suas operações envolvem a compra de uma moeda simultaneamente com a venda de outra. Ou seja, você negocia moedas em pares, onde você especula que o valor de uma das moedas vai subir ou cair em relação à segunda moeda.

Neste caso você tem duas moedas, onde uma é moeda base e uma é a moeda cotada, um exemplo: a paridade Iene /Dólar ou JPY/USD.

Neste caso o Iene é a moeda base e o Dólar é a moeda cotada, e isso quer dizer que você quer comprar dólares utilizando Iene. Digamos que a cotação do par JPY/USD está 0,009144 e você compra esse par. Logo, você acredita na valorização do Iene frente ao Dólar.

Como as cotações das moedas (dólares, euros, libras etc.) variam livremente, sob a influência de eventos políticos ou fatores econômicos, há um potencial para a realização de estratégias de investimento a fim de lucrar com essas flutuações. Esse mercado também permite a realização de estratégias de proteção (“hedge”) contra variações na taxa de câmbio, o que pode ser particularmente útil para quem possui receitas ou despesas afetadas pela cotação de determinada moeda, como exportadores, por exemplo. No caso de pessoas físicas, essa necessidade pode se manifestar quando elas sabem que terão uma despesa em moeda estrangeira em data futura.

JPY/USD = 0,009144 / 109,3610

Assim, caso o Dólar suba, você compra Iene utilizando dólares e realiza o seu ganho. O valor do contrato então será o valor do câmbio atual e o lucro/prejuízo seria a oscilação deste câmbio.

Ou seja, você irá realizar duas operações:

1) Primeiro você irá comprar/vender a paridade JPY/USD.

2) Depois, quando o cenário se concretizar, você irá vender/comprar a paridade JPY/USD.

Vamos lá suponhamos que o dólar hoje esteja valendo 109,3610. Então 1 Iene é igual a 0,009144 Dólares americanos e o câmbio JPY/USD é 0,29. Se você deseja investir R$1000,00 portanto, você conseguirá comprar aproximadamente 290,00 Dólares.

Mas como você está pensando nesta situação como um investimento, você deve saber que o câmbio é bastante volátil e que logo esta situação pode mudar muito.

Suponhamos novamente então que o dólar suba e agora esteja valendo 110,4530. Este é o câmbio USD/JPY. Então você encerra a operação e realiza os lucros.

Riscos o que pode acontecer

Este é apenas um exemplo para facilitar o entendimento sobre como funciona o mercado Fx, uma vez que as margens de lucro perseguidas podem ser muito maiores, como números de 200 ou 500%, o que também aumenta exponencialmente os riscos.

Embora muitos investidores não saibam este não é o único risco. Vamos agora falar quais os riscos você pode correr investindo no Mercado FX e qual a melhor maneira para investir no Dólar Futuro, por exemplo.

Além do risco de grandes perdas, um dos principais riscos que podemos ressaltar é a informalidade e a falta de regulamentação deste mercado.

O Forex é um mercado exclusivamente virtual, não tem uma sede estruturada fisicamente em nenhuma parte do mundo, com transações entre diferentes instituições e sem uma operação centralizada, diferente do mercado de ações que centraliza as operações na Bolsa de Valores e é justamente essa “informalidade” que pode representar riscos para o investidor.

Ele é formado pelas transações entre as instituições financeiras que nele operam. O FOREX é, portanto, um mercado de balcão, já que as transações são realizadas diretamente entre as partes por telefone, sistemas eletrônicos e internet. Não há uma operação centralizada, mas uma rede entre as instituições.

O Forex é operado 24 horas por dia, de forma quase ininterrupta, negociando quatro principais pares de moedas, ao redor do mundo. Desde Sidney (Austrália), passando por Tóquio (Japão), Londres (Reino Unido) e Nova York (EUA).

O FOREX é um mercado “virtual” e, portanto, não tem uma sede estruturada fisicamente em nenhuma parte do mundo – é justamente essa “informalidade” que pode representar riscos para o investidor.

Ele é formado pelas transações entre as instituições financeiras que nele operam. O FOREX é, portanto, um mercado de balcão, já que as transações são realizadas diretamente entre as partes por telefone, sistemas eletrônicos e internet. Não há uma operação centralizada, mas uma rede entre as instituições.

O Forex é operado 24 horas por dia, de forma quase ininterrupta, negociando quatro principais pares de moedas, ao redor do mundo. Desde Sidney (Austrália), passando por Tóquio (Japão), Londres (Reino Unido) e Nova York (EUA).

Apesar de ser um mercado internacional, as corretoras que oferecem investimentos no FOREX são registradas nos órgãos governamentais dos países em que atuam, como nos EUA e no Reino Unido. No Brasil, até julho de 2009, não há ainda corretoras registradas na CVM que participem na oferta de Forex.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *